terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Mommy to the rescue!

Quando não se tem lareira por onde o Pai Natal possa passar, o que é que se faz? No problem, Mom is here!

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Conselho do dia aos pais com filhos pequenos

Quando chegam a casa à noite, não estacionem logo o carro na garagem. Nunca se sabe quando será necessário dar uma voltinha com o pequenote para o acalmar e/ou o adormecer!

Girls...

Brace yourselves... boot season is coming!

A chuva tinha que vir acompanhada de uma boa notícia...

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Falta um mês

O Baptizado do nosso pequenino é daqui a 1 mês.
Que comecem os preparativos!

Caros canais televisivos...

... se sabem que uma série foi cancelada, não comprem os direitos da mesma.
É que uma pessoa vai-se afeiçoando à história, às personagens... e pimbas, de repente, depois de 1,2 ou 3 temporadas, ou a história fica a meio ou se arranja um fim às três pancadas para arrumar a série em metade dos episódios de que necessitaria para um fim decente!
A pior que me aconteceu foi há uns anos atrás, quando cancelaram o 'KYLE XY'. Após três temporadas e um final de temporada 3 que prometia uma temporada 4 muito boa, puf, cancelada!
Mais recentemente aconteceu com 'Bunheads', da produtora de 'Gilmore girls' (que adooooooro), após a 1ª temporada, no coming back!
Tudo isto para vos pedir que parem de nos fazer sofrer!

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Bonito, bonito...

... é ver que não se perde a fé, e que as pessoas andam por aí com t-shirts, bonés e bandeiras de Portugal mesmo após a última derrota!

Meninos...

....mostrar o 'rego' não é sexy.
Aliás, é um 'corta-tesão' super eficaz!! (Ou tue l'amour)
Toca a usar um cinto vá, diz que o senhor ali na esquina os vende a 5 euros.

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Rivalidades

Existe a rivalidade fraterna, a competição entre irmãos pela atenção e o amor dos pais; aquele que é melhor nos estudos, o craque no desporto, o mais responsável, e todas essas coisas que implica a fraternidade.
Há também a rivalidade clubística, 'o meu clube é o maior', simplesmente, porque sim!
Rivalidades no local de trabalho, a competição por uma promoção ou para ficar com o trabalho de outros.
Embora muitos a neguem, existe rivalidade entre pessoas de localidades próximas umas das outras, algumas delas tendo como resultado rixas entre indivíduos de cidades vizinhas.
Temos por Portugal, a rivalidade entre regiões, a competição pelo melhor vinho, pelo melhor azeite, o melhor Moscatel, a melhor cereja ou a melhor laranja. os melhores móveis, e por aí fora.
Mas gosto de acreditar que quando necessário, nós portugueses, sabemos juntar-nos e provar que a união faz a força e que a harmonia de 10 milhões de vozes x pelo número de 'Portugais' que existem por esse Mundo fora, chegam longe. Temos de deixar de falar apenas para dizer mal, temos de nos dedicar à crítica construtiva e à acção. Não nos devemos esconder após cada derrota, mas sim levantar-nos e transformar essa derrota em experiência de vida e seguirmos em frente de cabeça erguida à espera do próximo desafio.
À nossa selecção, desejo o melhor. Tiveram um dia mau, e desejo que daqui em diante tenham dias melhores.

E dou-lhes os meus parabéns, por terem a coragem de carregar nas suas costas o peso dos sonhos e das esperanças dos milhares de portugueses, naturalizados ou de coração, que existem no mundo.

Livros sobre parentalidade...

O único livro sobre parentalidade que aconselho os futuros pais a lerem, é o livrinho que nos dão quando saímos da maternidade com  o nosso rebento.
Fala das eventuais reacções do bebé e das atitudes a tomar (ou a não tomar!)
O resto... são balelas!

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Afinal isto é fixe...

Não percebo o porquê da depressão dos 30!
Isto afinal não é assim tão mau como me pintaram, aliás, até é bom!
Despachem mas é todos de entrar no clube dos trintões eheh.



segunda-feira, 2 de junho de 2014

Eu sou do tempo... #4

... em que quase toda a gente tinha um quintal com couves e batatas!

Sobre a "NOS"

Mas que falta de imaginação.
Então, para além de terem feito um logo que é igual a um padrão de pratos que se  encontram no continente, foram buscar a música utilizada num anúncio recente da VISA!
Ah, já para não falar de que sem acento, em bom português, o nome pronuncia-se 'NUS'!!

domingo, 1 de junho de 2014

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Cuidado com os animais...*








                                                                                                 
*o mesmo se aplica às crianças!!

Fazer filmes...

Acho que dou um novo sentido à expressão 'fazer filmes'.
Dotada de uma imaginação extremamente fértil, nunca tive problemas para inventar histórias de adormecer para as manas e os primos pequeninos.
Mas o que fazia imensas vezes, era inventar uma personagem (interpretada por mim) e inseri-la nas séries de que mais gostava. Em cada série era uma personagem diferente e muitas vezes tinha um guião bastante complexo. Estes episódios duravam horas (na minha cabeça).
Quem precisa de tv? :)

Exactidão

Gosto de exactidão.
Por exemplo: Quando pergunto as horas e me dizem: 'são quase três', quando na realidade são 14h39. Não acho piada nenhuma!
É uma diferença enorme. E é mais perto das duas e meia do que das três.
Mais ou menos cinco minutos, ainda é naquela.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Taras

Não gosto de ler os comentários do blogue através do mail.
Assim que recebo notificações a indicar que existem comentários no blogue, vou lê-los directamente ao blogue. Taras. Da mesma forma que tem outro 'sabor' ver aquele filme de que tanto gostamos a passar na televisão. Não sei explicar...

domingo, 25 de maio de 2014

Bond...

... James Bond

E o meu top 3 é:
1) Sean Connery
2) Roger Moore
3) Timothy Dalton

E os que proponho para os próximos:
-Hugh Jackman
-Leo Dicaprio
-James Franco


E esta é a razão pela qual raramente pinto as unhas...

Cenário: Unhas acabadinhas de pintar; thoughts:' wow até a mão direita ficou bem!'
De repente, vontade urgente de fazer xixi. Hmmm. F*ck as unhas!

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Para onde foi...

... o glamour original da Barbie?!
Agora anda a apanhar o cocó do cão e a limpar o xixi do gato...

terça-feira, 20 de maio de 2014

Curiosidades

Lá nas Américas, que é como quem diz, nos USA, o 'Ovo Kinder' é proibido por ser considerado perigoso.
Sim, perceberam bem: Não se exportam ovinhos de chocolate com surpresa lá dentro para os States.
Por ser perigoso. E armas em casa?! Com crianças que lá moram e tudo?! Naaahh, isso é peanuts!
Nada perigoso...

Meninas...

... lamento informar que as vossas fotos de perfil do facebook mais parecem soft porn!

Post NÃO patrocinado

Bepanthene- 12313553513- outros Cremes- 0
Quem sabe, sabe!

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Ser mãe também é...

... deixá-los cometer os próprios erros, porque há certas coisas que só a vida pode ensinar.

Filho único?

Sempre tive em mente que queria ter dois filhos. Isso porque fui filha única durante 7 anos e era uma menina muito egoísta até chegar a '1ª mana' e depois a segunda. E porque queria que o meu filho tivesse com quem partilhar as coisas de 'manos'. São experiências únicas.
Mas agora dou por mim a pensar, e não me imagino a amar outro bebé tanto quanto amo este. Independentemente do resto, este menino fez de mim mãe, a mãe dele.
Eu sei que os pais que já têm vários filhos dizem que o amor se multiplica e tudo mais.
Mas para mim, para já, parece algo impossível, amar outro ser como amo o meu pequeno.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Farta!

O próximo que não se calar com o raio do futebol e dos clubismos devia ser atingido em cheio pelo Karma!

Dicção

Vamos lá tirar as teias de aranha da língua pela manhã!
Repitam o mais rápido que conseguirem:

'Uma mafagafa teve cinco mafagafinhos, a mafagafa morreu e os cinco mafagafinhos ficaram a mafagafar sozinhos'*

                                            *Cortesia da minha mami que me fazia repetir isto para não ter problemas de dicção!

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Por esta e por outras é que somos a pior espécie à face da terra!

Acerca do vídeo abaixo:

Eu lembro-me do alto dos meus 3/4 anos, de ver os vídeos das músicas do Michael Jackson, com meninos a morrer à fome em África e começar a chorar, até ficar com soluços e não conseguir falar por me faltar o ar. A minha mãe perguntava-me o porquê do meu estado e eu respondia-lhe que os meninos estavam a sofrer. E não era justo. Dizia-lhe que queria ficar muito rica para os poder ajudar. 
Estes últimos dias andaram a entupir os blogues com comentários asquerosos sobre o vencedor da Eurovisão. Não é diferente do que se passa com estas crianças.
E não permitirei que o meu filho seja Racista  intolerante.
Cabe a mim incutir-lhe os valores certos. 

terça-feira, 13 de maio de 2014

Não gosto...

...que abusem do 'lol' escrito.
Pior que isso só aquelas que se lembram de dizer 'lol' verbalmente.
Não percebo, nem quero perceber, irrita-me profundamente!

segunda-feira, 12 de maio de 2014

O que eu me rio com a internet!

  
        *Porque é que [nome do país] é tão... (o resultado automático do google= nome que se encontra no país)



Conclusão:
-Podíamos criar um grupo dos países pobres e saíamos da União Europeia, voltávamos à era das trocas de batatas por aquilo que fizesse falta;
-Thank God! Não somos a França;
- Foi provavelmente um Belga quem criou este mapa!

domingo, 11 de maio de 2014

Critérios fúteis na escolha de um homem:

-ter mais 15 cm do que eu para eu poder andar com tamancos de 10 cm e não parecer mal (e, ocasionalmente, chegar aos armários de cima na cozinha);
-ter um peso bastante superior ao meu, de forma a que, mesmo grávida e com mais 20 quilos em cima, eu continue a ser a menos pesada;
-ter os olhos verdes, só porque gosto;
-ter as mãos grandes (dá sempre jeito);
-ter força suficiente para se/me defender caso seja necessário...

Entre outras coisas.

sábado, 10 de maio de 2014

As mulheres...

... são as criaturas mais invejosas que já conheci.

E provavelmente são a razão pela qual acabaremos como os dinossauros!

quinta-feira, 8 de maio de 2014

E é isto!

Sei um monte de coisas que não servem para nada!
Parece que se chama cultura geral.
Houvesse uma cadeira de cultura geral na faculdade, I would've killed it!

quarta-feira, 7 de maio de 2014

E sobre o dia da Mãe?!

Este já foi o meu 2º dia da mãe como mamã. Mas foi o 1º a ser celebrado.
Tive direito a Rosas e a este presente que adoro e que tenho usado sempre que saio de casa:


Tenho dois príncipes muito atenciosos em casa!
Não faço parte da maioria que acha ridículo haver um dia para comemorar o dia da mãe, porque se é mãe todos os dias e blá blá blá, etc...
Não quer dizer que nos outros dias não sejamos mães, serve apenas para que os filhos tenham a ocasião de relembrar às suas mães que o amor que elas lhes dão é correspondido. Um miminho extra, a cereja no topo do magnífico bolo que é ser mãe. 
Isto de ser mãe tem muito que se lhe diga. E andam por aí muitas 'cientistas especializadas em maternidade' (que na sua maioria são mães há meia dúzia de semanas).
'Ser mãe' é um termo demasiado vasto e abstracto que pode englobar de tudo um pouco.
Eu não sei 'ser mãe'. Apenas sei ser mãe dele.
E terei que saber para o resto da minha vida, só assim serei feliz.
Para mim, uma mãe põe-se sempre em último lugar, não porque seja o lugar que lhe pertence, apenas porque acima de tudo está o resto da família.
Sou assim, porque a minha mãe foi assim. E agradeço-lhe por isso. 
Porque ver os meus felizes, é o que me faz mais feliz!


Plano vs Realidade

Plano: Acabar a faculdade aos 22, casar aos 23, ter o 1º filho aos 25, o segundo (e último) aos 27 e a partir daí, tentar melhorar o nível de vida da família.

Realidade: Aos 25 anos- fim de uma relação de 7 anos e meio, mudança de País (regresso a Portugal).
Aos 26, conheci o meu actual companheiro, Aos 28 (a caminho dos 29) fui mãe pela 1ª vez, e agora, a menos de um mês de entrar nos 30, a vida não podia ser mais incerta.

No entanto, não trocava a minha vida por nada deste Mundo! Demorou, mas encontrei o meu caminho, as pessoas que me fazem feliz e ainda aprendi umas quantas lições pelo meio.

Recordações emprestadas #1

A minha tia diz que eu com um ano só pegava nas coisas com os dedos em pinça!
E ela do alto dos seus onze anos na altura, achava que eu era chique...

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Primeiro fim de semana de praia

Resultado = Sol 2- Família 1
O pequenito adorou; comeu areia, foi à água, brincou na areia, sempre besuntado de creme protector, com t-shirt e chapéu.
Nós, esturricamos, pusemos creme de um lado e... pronto, escaldão do outro!

E agora, bye bye lençois polares, que acho que chegou o verão assim colado à primavera!

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Crianças: best of #2

Primo R. do alto dos seus três anos:
-'Mónica já viste as minhas 'patilhas nobas?'
- Ainda não
- Espera aqui que vou já calçá-las'
Volta 1 mn depois:
-' Vais ver como corro supé mais depessa com elas!'
...Demonstração...
-' Uau, realmente, assim corres muito depressa.
-Pois, com elas, sou mais rápdo que um foguetão'

Ahahahahahah
E enquanto me ria, na minha cabeça tocava esta canção*:


                                *esta parte em especial: '... I'm gonna make a supersonic man out of you...'

domingo, 27 de abril de 2014

Sumos quê?

Quais sumos detox, sementes e outros que tal, qual quê?!
Um belo de um bacalhau assado no forno com batatinhas e pimentos e ainda uma bela salada a acompanhar!
Isso sim, é almoço de Domingo.

TOP

Eu até nem gosto muito de bola.
 Mas este vídeo está mesmo top!



quinta-feira, 24 de abril de 2014

Thank you :)

Recebi um convite para participar num desafio. (o 1º-yay)
No entanto, como não gosto de dar trabalho às pessoas, limito-me a mostrar o "prémio", e a agradecer à
miss sixty  pela nomeação. Sinto-me lisonjeada ;)


quarta-feira, 23 de abril de 2014

Obesidade Infantil

Como é que se explica a uma criança que sofre de obesidade infantil que esta tem que comer menos que o irmão mais velho ou que os pais e que não pode comer certos alimentos, mesmo tendo acesso a eles em casa?!
Não se explica!! A família faz o sacrifício em conjunto. E mais nada!
Porque o significado de família também é esse!

terça-feira, 22 de abril de 2014

A evolução das vacas

Antes, as vacas só faziam 'Muuu', agora também dizem: 'Oi tudo bem?'

Mommy mantra*

Não falarás do tamanho do teu filho.





*é que se for maior do que o delas (e é sempre), ficam todas ofendidas e arranjam mil e uma desculpas para o facto dele ser maior que a média. O pai dele é alto, deal with it!

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Vizinhos

Mais alguém com vizinhos que tocam à campainha e dizem ‘Oh bizinha abra a porta do prédio por fabore’?!
Ponto nº1: Como raio é que eu sei que és meu/minha vizinho/vizinha?
Ponto nº2: Acordam-me o bebé quando fazem essa m*rda!
Ponto nº3: Tocarem-me à campainha depois das 22h00, é caso para me porem com vontade bater em alguém!


Depois de várias vezes ter dito a essas pessoas para pararem, vou infelizmente ter que desligar a minha campainha, forever!

                                         *Ter vizinhos mal-educados e com consideração abaixo do 0 é outra coisa.

Mãe: desmistificação do nascimento- 2

Agora é a vez da xaxia contar a história do nascimento da sua ‘migalha crescida’ =):

Bem, para começar, cá em casa nasce-se à quinta feira.  Uma médica com necessidade de organizar a agenda, aliada a um pai com cagufa de ter que lidar com o "rebentaram-me as águas", fizeram com que todos os nascimentos fossem marcados, ainda que a minha filha mais crescida, lhes tenha trocado as voltas e tenha nascido no dia que estava marcado, mas durante a madrugada e umas antes horas da suposta indução.
Em frente...durante toda a primeira gravidez,  habituei-me a ver a minha obstetra a olhar de lado para mim e a dizer: "bacia mediterrânica, duvido que alguma vez passe aí um bebé".
Não tinha bem a certeza do que aquilo queria dizer exactamente, mas sei que me preparei durante 40 semanas e 2 dias, para a necessidade de uma cesariana.
E como não ia ter um parto normal, não houve qualquer "preparação para o parto". Não houve leituras de livros, nem recolha de testemunhos, nem revistas da especialidade. Não houve nada de nada. A minha preparação para o parto consistiu em depilação, manicure e cabeleireiro (para não ficar com cara de minhoca enjoada nas primeiras fotografias da bebé).
No dia 18 de Janeiro, por volta da uma da manhã, comecei a sentir o que eu achava serem uma dores fortes. Como se repetiam com intervalos regulares (ainda que espaçados), fui para a maternidade. Uma enfermeira fez o "toque", um CTG, e disse-me para ir para casa, que aquilo estava muito atrasado. Para ir no dia 19 às nove, como estava combinado com a médica. Basicamente, esperavam-me mais de trinta horas com aquilo que eu já achava serem dores insuportáveis.
De manhã a coisa até tinha acalmado, mas ao longo do dia foi sempre piorando, e piorando, comecei a perder uma espécie de muco com sangue, e por várias vezes pensei que a miúda ia nascer em casa. Durante a tarde fui ao consultório da médica. Mais um toque, mais um CTG, e um "amanhã às nove, se ficar muito aflita vai para o hospital e liga-me". Daqui entendi que não estava suficientemente aflita, e que ainda ia ficar verdadeiramente aflita (e ia, se ia)
Saí de lá a sentir-me uma mariquinhas ansiosa, e a pensar, que nem que a vaca tossisse, nem que chovessem canivetes, não voltava a incomodar a médica nem a ir para o hospital com falsos trabalhos de parto.
Mas as dores foram sempre piorando, e cada vez saía mais muco ensaguentado (o "rolhão"). Dito-Cujo quis levar-me para o hospital umas cinco vezes, mas eu recusei sempre "nem morta, ir lá outra vez fazer figuras tristes. É amanhã às nove". 
Mas por volta da uma da manhã, vinte e quatro horas depois da primeira ida à maternidade, eu era uma mulher muito grávida aos gritos e a subir paredes com as dores (sim, eram umas trinta vezes piores que as que me tinham feito agarrar na "mala" na véspera), ao ponto de o homem ter que me vestir e calçar. 
Entrei na maternidade quase de gatas,  quarenta minutos depois, mais um toque, mais um CTG, uma enfermeira a perguntar-me há quanto tempo me tinham rebentado as águas (com as dores nem tinha percebido que a bolsa tinha rebentado pelo caminho). 
Poucos minutos depois chegava a minha médica, mais um toque, e um "não faça força que temos que esperar que chegue o pediatra". Comecei a gritar pela prometida epidural, por um tempo que me pareceram horas, mas que Dito-Cujo garante que foram poucos minutos. 
Com a epidural chegou o alívio. E logo depois o pediatra.
E é quando me mandam fazer força. "Faça força quando eu disser". Força? Então não vou para o bloco, para a cesariana?  Hello Drª Paula, bacia mediterrânica, lembra-se?
E depois foi tudo muito rápido, a força que eu fazia não era capaz nem de fazer nascer uma formiga, quanto mais um bebé, e portanto usaram forceps para ajudar. A partir do momento em que levei a epidural, nunca mais tive qualquer dor, mas também não senti o momento em que tinha que fazer força, e nem sequer tinha vontade de a fazer, por isso fiquei impávida e serena a ver a minha bebé a sair-me das entranhas.
Uma linda bebé entre o roxo e o azulado (talvez nas aulas que não frequentei avisem que os bebés nascem daquela cor), que puseram em cima da minha barriga e a quem eu agarrei por um pé, enquanto o pai tirava fotografias para começar a bombardear a família com imagens da miúda mais gira do mundo.
As enfermeiras acharam a "primeira roupa" que eu tinha levado demasiado (sabia lá eu que o primeiro dia ia ser uma primeira noite), e resolveram vestir-lhe um dos pijaminhas rosa.
E é disso que me lembro melhor. Aquela bebé mínima, vestida de cor de rosa, com os olhos mais arregalados do mundo, aninhada nos meus braços, a roubar-me o coração, a engolir-me num amor sem fim, que dura até hoje.
Tão bom, mas tão bom, que repeti mais duas vezes


Obrigada Xaxia por partilhares a tua experiência connosco!

terça-feira, 15 de abril de 2014

Isto é quase uma seita

Tu que estás prestes a ser mãe, prepara-te porque vais entrar para um clube muito restrito.
A partir de agora vão olhar para ti com mais respeito, e tudo o que disseres será tido em conta.
Podes falar de certos assuntos que até agora eram Tabu.
E ganhaste o direito de dizer ‘coisas menos simpáticas’ sobre a gravidez, os bebés e as crianças sem seres fuzilada por olhares de outras mães.



*o que mais me irrita são aquelas pessoas que são mães há meia dúzia de dias e afirmam pensam que já sabem tudo sobre parentalidade, well , flash news for you: nunca se sabe tudo, especialmente sobre este assunto!

Confession time

Sou ornitofóbica.
Para quem não conhece, é o medo de todo o tipo de aves.
Não interajo com pássaros, não gosto de tocar em penas e também não como aves.
Além disso tenho a certeza que eles conseguem sentir que não gosto deles e acabam por vir ter comigo.
Vicious creatures!

Eu sou do tempo...#3

...em que o festival da canção (Eurovisão) e os Jogos sem fronteiras, eram um 'big deal'!

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Cariño, no me gusta

Não gosto de ir às compras.
Odeio passar horas dentro de lojas à procura de algo.
Quando vou comprar algo, costumo já ter em mente exactamente aquilo que quero.
Tem que ser 'amor à primeira vista', senão saio e vou a outra loja.
Não sou o género de pessoa que gosta de andar a ver tudo e voltar a ver e ver de novo.
Eu sei que é pouco 'girly of me' mas é assim!

domingo, 13 de abril de 2014

Mas que raio de m*rda vem a ser isto?!?!?!

Acerca disto, mas agora qualquer palhaço compra pedaços de Portugal?
Que porra é esta?
Ainda estou em estado de choque, nem sei bem o que diga!

Distracção

No que diz respeito a tirar fotos, sou muito esquecida.
Quando saio com amigos ou vou passear com a família, esqueço-me muitas vezes de imortalizar estes momentos.
Digo cá para mim que é porque estou demasiado ocupada a aproveitar os momentos todos com as pessoas que mais amo.
E mesmo quando me lembro de tirar fotos, esqueço-me de pedir para que me fotografem a mim.
E é prato do dia eu ter umas 10 fotos de toda a gente e apenas 1 minha, porque alguém lá se lembrou de dizer 'dá cá a máquina, agora fotografo eu'.

sábado, 12 de abril de 2014

E esse sábado Mónica?!

Foi mais ou menos assim:





Passeio até à praia, passagem pelo parque e gelados para todos! 

Cornetto de limão

O gelado mais xpto do verão está de volta, e os gajos lembram-se de pôr pedacinhos de chocolate branco no topo do gelado?! Porquê mudar algo que era tão bom?
Porquêêê...

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Irmãs

Parece que ontem foi dia dos irmãos.
Não podia deixar passar esta ocasião em branco.
Decorria o verão de 1991 e avisaram-me que iam buscar a minha mãe ao hospital.
Voltaram com uma bebé. Achei-a muito pequenina, e não muito bonita. Mas era a minha mana. Agora, eu era a irmã mais velha. Eu é que tinha escolhido o nome dela. E para o resto da vida, ia ter um ser que ia precisar de mim. Quando a minha mãe anunciou que estava grávida, eu queria muito um irmão. Pensava que a minha irmã ia gostar muito de mim, pelo menos tanto quanto eu já gostava dela. Mas ela não era muito do género a demonstrar os sentimentos e teve tendência a infernizar a minha vida desde cedo. Portanto, quando a minha mãe anunciou mais uma gravidez, anos mais tarde, chorei. Chorei muito, porque tinha medo que viesse outra irmã que não gostasse de mim e me fizesse a vida negra. E no verão de 1995, chegou mais uma mana. Achei que era maior que a anterior, mas tal como a precedente não era lá muito bonita. Mas acabou por se revelar totalmente diferente da anterior. Mais meiga, calma, e com uma tendência a adormecer em todo o lado e a qualquer hora.
Ao longo dos anos foram mais os momentos de discussão do que os momentos de cumplicidade. A enorme diferença de idades pode ter sido a culpada, mas o que posso dizer é que amo as minhas irmãs, dava o que fosse preciso para as ver felizes. E quando alguém magoa alguma delas, eu sofro. Dói mais do que se me fizessem mal a mim directamente. Apesar de eu ser a mais velha, as minhas irmãs ensinaram-me muitas coisas ao longo de todos estes anos. Eu não seria quem sou sem elas, e agora que estamos separadas por mais de 1000 km e um país pelo meio, sinto um vazio. Um vazio que só se preenche quando estamos todas juntas outra vez. As minhas irmãs, são parte de mim. Juntas, somos um furacão, imparáveis, fortes e unidas.

Uma irmã é a tua amiga para toda a vida. E melhor do que ter uma irmã, só mesmo ter duas!


I love you girls

Crianças: best of

A. 12 anos: Tia trouxe-te uma receita. A professora deu-nos caso as nossas mães quisessem fazer em casa.
Tia: E porque é que ma estás a dar a mim? Dá a receita à tua mãe!
A.: Não. A minha mãe é muito preguiçosa.
Tia: Se ela te ouve, és um rapaz morto!
A.: Não te preocupes, ela está a dormir...

Aquele momento...

... em que o pc avisa que vai reiniciar, e uma pessoa escolhe a opção para aguardar mais 4 horas, e depois clica em 'reiniciar agora' em vez de 'adiar'. Damn!

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Francesinha

Consta que gostos, não se discutem.
E a minha preferência no que diz respeito a francesinhas vai para o Barrigas, na Madalena.
Já para não falar na enorme vantagem de darmos uns passos e estarmos na praia.
Oh yeah, that's the stuff baby!

Mãe: desmistificação do nascimento- 1

O intuito é quebrar as ideias pré-concebidas e mostrar as coisas como elas realmente são, através da experiência de algumas mães e da sua percepção sobre o nascimento dos seus filhos, num tom mais informal.
Hoje começo com a minha experiência:

Esta é a história de como o Rodrigo veio ao Mundo e consequentemente, de como me tornei mãe.

A história começa dia 3 de Abril de 2013. Levantei-me de manhã cedo, para ir a uma consulta de termo no hospital de Gaia. Estava de 39 semanas e 3 dias de gestação. Depois dos exames de rotina chega parte em que a  Médica vê o bebé no monitor. Depois de muito ‘uhm’ e alguns ‘não se vê muito bem’, lá me diz que tenho que regressar ao hospital na manhã do dia seguinte para fazer uma ecografia no andar de cima onde os aparelhos têm melhor qualidade.
No dia seguinte apresento-me ao local da ecografia, acompanhada da minha tia.
Chamam o meu nome e lá vou eu. Mais alguns ‘uhm’ por parte desta médica e finalmente um ‘ o bebé já tem pouco líquido amniótico, volto já’.
A minha tinha diz-me: ‘Já foste, ficas cá e vão induzir-te o parto.’
Na minha cabeça não podia ser já, instalou-se o pânico.
Quando a médica volta e me diz exactamente o mesmo que a minha tia, o meu coração começou a bater a mil, e a minha cabeça a fumegar, só pensava ‘ não é possível, já?! Mas ainda falta quase uma semana, eu não estou pronta, isto vai correr mal de certeza, a minha tolerância à dor não é assim tão boa, não vou conseguir ter este bebé, que horror, vou morrer durante o parto…’ entre outras ideias estúpidas que se atropelavam no meu cérebro.
Fui ‘internada’ por volta da uma de dia 04 de Abril. Às 15h00 induziram-me o parto e dizem-me que pode demorar até dois dias (o drama, o horror, eu queria era despachar isto), e por volta das 18h30 já tinha contracções que doíam imenso e vinham de dois em dois minutos, andava para trás e para a frente, sentava-me na bola de exercícios e tentava respirar, vieram ver e ‘uh já está dilatada a 2’ e eu que só pensava ‘já?! Isto é gozar comigo, não levo epidural até chegar aos 5 pelo menos’, fui tomar um banho quente, andei de novo a caminhar para trás e para a frente (quando as dores deixavam). Entretanto houve mudança de turno, e voltei a ter uma enfermeira diferente. Esta era novinha e pergunta ‘Foi às aulas de preparação para o parto?!’ eu: ‘no’, ela: ‘Ihhh só nos faltava esta’, pronto, fiquei ainda mais “panicada”.
O tempo passa, as dores intensificam. A enfermeira “mor” ouve-me a gemer e vem dizer-me que me vai dar uma injecção no rabo para atenuar a dor. Eram cerca das 21h00.
Em vez de melhorar, piorou. E é aí que a médica entra em cena pela 1ª vez.
(Muito simpática devo dizer.)
Diz-me que não é normal depois da injecção, doer ainda mais. E decide verificar a dilatação: 7 cm!!
‘Ui, que dilatação tão rápida, vamos lá à epidural que ainda conhecemos o Rodrigo hoje!'
E assim foi, deram-me a epidural, esperaram que fizesse efeito, e oh! Surpresa, a epidural só fez efeito do lado direito. Sentia a dor do lado esquerdo-esperar pela dilatação a 10 e chamar o papá. E pronto. Chegou a hora (15 mulheres do staff só para o Rodrigo, mais nenhum bebé quis nascer nessa noite)
E era fazer forçar, era respirar, era fazer força. ‘Respire, respire’ diziam elas, e eu só dizia ‘não consigo’ E o Mr. a segurar-me na mão e a sentir-se impotente. A dada altura já não tinha mais forças. Teva que ser com a ajuda de ventosa e de duas enfermeiras a carregarem na minha barriga ao mesmo tempo que eu fiz força para ele sair. E saiu. Eram 23h20. Não chorou logo ao sair. Demorou 2 segundos a berrar, que me pareceram uma eternidade e eu já imaginava o pior. E depois, levaram-no logo para o limparem e pesar. A médica diz-me que vai carregar para sair a placenta, e que para certas mulheres era pior que o próprio parto. E eu, que já nem sentia nada, só lhe disse algo do género ‘go for it’. E não é que a única coisa que senti foi um grande alívio?
Estava a médica ainda a cozer o 'business' quando chega a enfermeira com o miúdo e o põe em cima de mim. Primeiros pensamentos ‘não é nada parecido comigo’ ‘porque raio é que nasceu com cabelo castanho’ e ‘ onde é que anda o sentimento de conexão instantânea de mãe-filho que me tinham prometido?!’ E depois, pedi ao pai que pegasse nele. E aí sim, vi algo de que já ouvira falar: um pai emocionado cujo filho lhe tinha agarrado o dedo e não parecia querer largar!


O processo do nascimento não durou mais que uns 10-15 minutos. Olhando para trás, sei que foi um ‘nascimento santo’.

Eu sou do tempo... #2

... em que ser educado não era uma excepção.
Era uma regra.

Seguir os blogues

A propósito deste post, parece que as minhas preces foram ouvidas!
YAY

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Ortografia

Odeio o 'novo'(que já não é assim tão novo, mas é o mais recente) acordo ortográfico!
Odeio, odeio, odeio e sou totalmente contra.

Será?!

Diz que os homens se conquistam pelo estômago. Já as mulheres, diz que é pelo riso.
Mas até que ponto é que será verdade?
Admito que no meu caso foi muito importante arranjar um companheiro que me fizesse rir e sorrir muito.
Mas se é verdade que os homens se conquistam pelo estômago, o que é feito das mulheres que não sabem cozinhar (e acreditem que não são poucas!)?
Se acreditarmos na Helen Fielding e na sua 'Bridget', nada disso importa.
Senhores e senhoras, o que me dizem?

Music

O Saxofone é sexy.
Mas nutro uma verdadeira paixão pelo Violoncelo.




2 Cellos, e viva a Croácia!

terça-feira, 8 de abril de 2014

Montauban*

Esta é a cidade onde passei cerca de metade da minha vida. Fica a apresentação em imagens:







*Montauban, département 82, Tarn et Garonne, France

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Ver o telejornal...

...(e assim quebrar a minha filosofia de 'nãovejomaisojornalporqueestoufartadadevernotíciasmás')
para ouvir dizer que em certas escolas as cantinas vão permanecer abertas nas férias da Páscoa porque para algumas crianças a refeição que comem na escola é a única do dia inteiro= uma pessoa revoltada e tantas lágrimas que parece que esteve ali na sala um samurai a tentar bater o record de cebolas descascadas com o seu sabre em menos de 30 segundos!

Q'T-shirt

Never. ever.ever.ever.ever.more!
Tenho dito...

Um ano a 2+1

Por cá  a preparação da festa começou quinta feira.
E esta 'busy bee' mal teve tempo de respirar.
Mas os miúdos e graúdos divertiram-se e isso sim, é o que importa!



E foi mais ou menos isto

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Coisas que tenho que ensinar ao meu filho #1

Sim, as mulheres são todas loucas.
Sim, elas estão conscientes disso.
Não, nem te atrevas a dizer-lhes isso na cara, sob pena de teres que sofrer graves consequências!

terça-feira, 1 de abril de 2014

Chuva

E não é que afinal este tempo ranhoso e esta chuva têm uma vantagem?
O pequenote acordou e já passava das 10 hoje!

Limpeza

Por muito pequena que seja a nossa casa, na hora da limpeza parece sempre uma Mansão!

Adenda ao post anterior

Lembram-se daquelas séries que viam quando eram miúdos e achavam que eram super mega fantásticas?
Um pequeno conselho: não caiam no erro de voltar a vê-las agora. Mantenham as recordações de infância intactas.
Limitem-se a oferecer prendas como a da imagem abaixo, como  recordação.






segunda-feira, 31 de março de 2014

Os heróis da minha infância

Numa manhã de sábado, era hábito ela acordar muito cedo para um encontro pelo qual ansiara toda a semana.
Queria muito ver o amigo verde a tentar integrar-se num ambiente totalmente diferente do seu; a sua amiga rosa, que conseguia sempre escapar das mãos do vilão; o seu amigo que vivia sempre triste, porque nunca conseguia 'pregar uma partida' ao animal mais rápido do deserto; e ainda ver o seu amigo preferido, que andava sempre rodeado dos três acólitas mais leais da história, entre muitos, muitos outros, que tornavam o início de fim de semana numa verdadeira alegria.
O final de Domingo também era um momento muito alegre pois era hora do reencontro com um amigo especial. Nunca antes tinha ela conhecido alguém com uma capacidade de raciocínio tão rápida, e com um conhecimento tão abrangente do ambiente que o rodeia, que era capaz de se safar de situações complicadas. Ele era um mágico, um mágico diferente, mas aos olhos daquela menina, do alto do seu palmo e meio e dos seus 6 anos de vida, era magia.
Mas mais importante do que tudo isto, era ela. A mulher que foi mãe quando outras ainda brincavam ao 'faz de conta', sonhavam com o seu príncipe encantado ou faziam planos de uma futura carreira através de estudos superiores. Aquela que a levava para o hospital às duas da manhã porque ela até a dormir gemia com as dores de barriga, que nunca se esquecia de lhe dar um beijinho de boa noite, que arranjava sempre tempo para brincar com ela, que trabalhava, muitas vezes de sol a sol, para que não lhe faltasse nada. Nunca.
Obrigada Mãe por seres a heroína da minha infância, e uma das pessoas mais importantes da minha Vida!                                                                              

sábado, 29 de março de 2014

Solidão

Mais alguém que tenha aí um pequenote que tem aversão a ficar sozinho?!
É que mal saímos da beira dele começa o berreiro!

sexta-feira, 28 de março de 2014

Pobre Rapaz


Coitadinhooo! Fiquei mesmo com pena do mocinho!

Canal Panda

Uma pessoa muda para o Canal Panda, para ver se o miúdo gosta do que está a dar, e ouve dois dinossauros a cantar '... toda a gente faz cocóooo...'

E é isto!

quarta-feira, 26 de março de 2014

Esta gente lembra-se de cada coisa.

Acerca deste artigo sobre as mulheres portuguesas, resumindo assim por alto:
Somos menos p*tas.

Família

A pouco mais de uma semana do 1º aniversário do meu filho, estou a entrar em modo retrospectivo.
Chego à conclusão de que muito mais importante do que ter estabilidade financeira quando se tem um filho, é o facto de termos constituído uma família na qual ele vai poder crescer feliz, porque vai saber que existem imensas pessoas que o amam e o apoiam incondicionalmente, mas que também se preocupam o suficiente para tomar decisões que nem sempre são fáceis, mas ajudarão a torná-lo numa
pessoa melhor. Utilizei o termo 'constituir família', porque para mim, isso engloba também a família escolhida por nós, os nossos amigos, que apesar de não partilharem o nosso sangue, podem contar connosco, sempre. E vice-versa também!
GOSTO da nosso 'família', composta por avós, tios, bisavós, tios 'emprestados', padrinhos, etc...
E ele gosta de todos eles. Todas estas pessoas que ajudarão a definir o seu carácter e moralidade, e lhe hão de ensinar o quão importante é rodearmo-nos de pessoas que nos fazem bem.

                                                                     Quase um ano de ti pequenino. De nós. Love you*

terça-feira, 25 de março de 2014

Eu sou do tempo... #1

... em que na MTV ainda passava música.

Post de gaja*

Desde miúda que observo as mulheres e uma das suas obsessões: ter um cabelo impecavelmente liso.
Elas é ferros para alisar cabelo, secador e escovas específicas, idas ao cabeleireiro, e até técnicas para as que têm o cabelo frisado; alisamentos que duram semanas!
Esta 'neura' é algo que sempre me passou ao lado.
Sempre tive o cabelo muito encaracolado. Digamos (em termos simpáticos) que acordo muitas vezes com o look 'wild'!(Motivo de (sor)riso diário matinal do Mr. da casa!)
E sempre gostei de ter o cabelo assim.(À excepção de uma vez ou outra ir cortar o cabelo e pedir à pessoa para alisar o cabelo no fim, ando sempre com o cabelo aos caracóis.) Quando era miúda as mulheres babam-se e diziam todas 'ai que cabelo lindo, parece uma princezinha!'- as mesmas que andavam sempre com a mania de querer ter o cabelo liso- e já na idade adulta no início dos vinte tive direito a reacções engraçadas.
Lembro-me como se tivesse ocorrido ontem de um episódio que aconteceu com uma menina de 4/5 anos.
Andava eu na faculdade e trabalhava na caixa de um supermercado. Na caixa por trás de mim, passaram uma mãe e a sua filha.
De repente sinto alguém a passar-me a mão no cabelo, quando me viro para trás, lá estava a tal menina, que com um grande sorriso me diz: 'Wow, tu as des cheveux de princesse' (Tens cabelo de princesa).

Resumindo, meninas, aceitem-se como são, sempre poupam minutos preciosos na preparação da manhã!


                                           *ainda que acredite que alguns homens se possam rever.

segunda-feira, 24 de março de 2014

JN*

Uma pessoa vai ver as notícias na net, (porque a TV passa a vida nos canais de bonecada por cá!) e decide ver o que se passa através do Jornal de Notícias on-line.
Para além do português de quem escreve os artigos ser um tanto ou quanto duvidoso, o pior de tudo são os comentários.
Mas aquela gente não sabe activar a moderação de comentários?! Lê-se cada obscenidade escrita por pessoas que nem em português se conseguem exprimir, que até dói!

                                                                   
                                             *Faz-me um favor: põe as coisas em ordem aí em casa, sim?




Banda de eleição

MK Ultra- Muse

Para quem não sabe o que é o MK Ultra

domingo, 23 de março de 2014

Bonito bonito...

...é ter um filhote de onze meses e meio que já dorme noites completas desde que tem um mês e meio.
E segundo o que me contam e o que leio por aí, é raro, muito raro!

sábado, 22 de março de 2014

That awkward moment...

...em que ficamos a olhar para uma pessoa e a pensar... mas... será homem ou mulher?


Já vos aconteceu?!

sexta-feira, 21 de março de 2014

Kids...

Primo R. de cinco anos a ver o canal Disney Junior ao meu lado.

De repente:
-Mónica, eu queria um mano.
-Ah?! ('engasgo' seguido do pensamento 'calha-me sempre a mim')
[O amigo X e a minha amiga Y dele tiveram um irmão cada um o ano passado]
-Tens a certeza de que querias ter um bebé assim (meu filho) como o primo em tua casa?
-Sim!
-Porquêêê?!
- Mas, sabes, os bebés gostam muiiito de mim!

Ah, pronto, então está explicado!

Raios

Que raio de coisa nova é esta que agora não deixa seguir os blogues no próprio blogue da pessoa?
Clico por cima dos seguidores e aparece a janelinha a dizer para 'seguir com o friend connect do G+', e depois do login dá logo mensagem de erro!
Lá tenho que voltar ao painel do meu blogger, clicar em 'adicionar' na lista dos blogues que sigo, e copiar para lá o url. É o dobro do trabalho, e às vezes só dá vontade de desistir!

Senhores do Blogger/Google, por favor, voltem a tornar as coisas mais simples!

quinta-feira, 20 de março de 2014

O que é Nacional também é bom*


                                                   



  *parem lá com a mania de que Portugal é uma m*rda!



KIKA, 16 anos, Porto

quarta-feira, 19 de março de 2014

Dia do Pai #2

*Update



Uns chupa-chupas de chocolate e uns bombons feitos em casa, uma t-shirt especial e uma carta. Um embrulho, et voilà: 




Resultado? Um papá feliz antes de sair para ir trabalhar :D

terça-feira, 18 de março de 2014

Dia do pai: Ideia gira


Uma ideia que circula pela net e que eu acho engraçada:
Reconstituição de fotos antigas:



imagens retiradas do google


É fácil e não sai muito caro!

Dia do Pai #1

Ora vamos lá começar a preparar o 1º dia do Pai do Mr. Daddy*:




                                                                           
                                                                                                                           *Update later!


segunda-feira, 17 de março de 2014

Por Amor...*

Quando eu era miúda quem mandava eram os pais.
Agora é vê-los a fazerem as vontadinhas todas aos filhinhos queridos e 'ai coitadinho, que ele tem que ter o brinquedo xpto e roupa da marca y'.
Acredito que esta geração de crianças nunca terá uma infância tão feliz como as pessoas da minha geração tiveram: brincar na rua com os amigos sem ter horas de voltar para casa (excepto o lanche, esse era sagrado!), e as brincadeiras serem todas ao ar livre.
Agora é ver miúdos de 3/4 anos agarrados ao ipad/tablet a jogar. Se isto continua assim, geração seguinte já deve sair do útero com um tablet na mão!

Resumindo, nasci em má altura, quando era criança mandavam os pais nos filhos, agora é o contrário, então e eu? Quando é que mando?!


                                                     *...da Santinha!

domingo, 16 de março de 2014

Injustiça

Odeio injustiça.
Sempre que me deparo com uma situação destas, parece que há algo que começa a arder em mim.
Acorda o 'mostro' que dorme pacificamente o resto do tempo.
Revolta-me que existam pessoas capazes de mentir, deturpar a verdade, fazerem-se de vítimas, lamber botas, fazerem-se de amigas de certas pessoas, só para subirem na empresa onde trabalham.
Mas o auge, o culminar disto tudo, é quando essa mesma pessoa é capaz de ir para a cama com alguém, para o fim supra mencionado! (E eu, criatura ingénua, que pensava que isto eram coisas exclusivas de filmes americanos e novelas brasileiras, qual quê?!)

Quanto mais conheço gente por esse Mundo fora, mais medo tenho que o meu filho cresça num universo só de pulhas, corruptos e manipuladores!